Liderança ou gestão: em que diferem?

Retrato da contribuidora Julia MartinsJulia Martins30 de março de 20218 minutos de leitura
facebooktwitterlinkedin
Imagem do artigo “Liderança ou gestão: em que diferem?”

Como saber quem é líder e quem é gerente? Qual é a diferença, e por que isso importa?

Não é raro colocarmos liderança e gestão na mesma caixa. Muitos de nós usamos ora um, ora o outro termo para dizer a mesma coisa sem nenhuma consequência negativa. Quando falamos de líderes, geralmente estamos falando de gerentes. Do mesmo modo, quando abordamos um gerente, nós o consideramos um líder. Porém, embora a mesma pessoa possa exercer ambas as funções, esse nem sempre é o caso.

Bons gerentes não precisam ser ótimos líderes, assim como alguns líderes podem não ocupar o cargo de “gerente”. Porém, ambos precisam estar presentes em todas as equipes e empresas bem-sucedidas. O gerente pode apoiar os membros da equipe enquanto realizam o seu trabalho, incentivando-os a darem o melhor de si. Já o líder pode compartilhar o quadro geral para que os membros da equipe adiram à visão geral da empresa. Ambas as funções são essenciais para uma equipe eficaz e um local de trabalho colaborativo.

Seja para gerentes, líderes ou quem exerce ambos os papéis, aprender a diferença entre eles pode ajudar a desenvolver as habilidades exigidas por cada um. Neste artigo, ajudaremos a definir liderança e gestão, traçar algumas semelhanças e ressaltar as diferenças entre as duas funções.

A gestão é operacional; trata-se de definir e avaliar prioridades, tomar decisões de contratação, demissão, remuneração e coisas desse tipo. Já o líder é uma espécie de coach, talvez até um guru. Ele é responsável por não deixar o desânimo se instalar, por manter todos os membros da equipe inspirados e por ajudá-los a crescer, certificando-se de que todos estão trilhando o mesmo caminho. O líder precisa ser uma fortaleza de segurança e estabilidade em meio às mudanças.
Leia: Dustin Moskovitz compartilha lições de liderança

Principais habilidades de liderança

Líderes eficazes ajudam a colocar a empresa na direção certa, pois sabem como compartilhar metas e inspirar pessoas com base no quadro geral. Os líderes não ficam apenas sonhando com o destino que pretendem atingir, eles também motivam os membros da equipe para que todos cheguem lá. Se a empresa fosse um navio, os líderes seriam responsáveis por decidir aonde ir, aquela parte da tripulação que está sempre olhando para o horizonte.

As principais qualidades de liderança incluem:

  • Motivação. Bons líderes motivam sua equipe a realizar o impossível. Eles compartilham o próprio ânimo e entusiasmo com o grupo para aproveitar mais oportunidades que, de outro modo, não conseguiriam aproveitar por si sós.

  • Criatividade. Bons líderes pensam de forma pouco convencional e desafiam o status quo. Essencialmente, os líderes não se focam apenas em sua própria criatividade, eles também apoiam e incentivam a criatividade dos outros membros da equipe.

  • Mentoria. Um princípio fundamental da liderança é ajudar a equipe a atingir o seu pleno potencial. Isso pode ser feito por meio de coaching e orientações transmitidas aos membros da equipe, não por meio da atribuição ou designação de tarefas.

  • Resolução de problemas. A habilidade de resolver problemas é importante em todos os âmbitos do processo de tomada de decisões. O líder pode ajudar a solucionar problemas nos âmbitos estratégico e conceitual. Por exemplo, ele pode ressaltar as principais metas da organização e adotar estratégias de resolução de problemas para identificar o que possa estar impedindo a equipe de atingir suas metas.

  • Assunção de riscos. Saber quando assumir um risco faz parte da função de liderança, bem como saber quando apoiar os membros da equipe para que também assumam riscos. Os melhores líderes desafiam o status quo com o objetivo de impulsionar mudanças positivas na organização.

Na minha opinião, o líder é um visionário. Ele incentiva e motiva todos à sua volta e identifica o potencial dos outros. Ele desafia o status quo e se esforça por implementar mudanças positivas na organização. Não importa qual seja o seu cargo ou função, qualquer um pode ser líder, basta querer e demonstrar o seu potencial.

Como é possível ser líder sem ser gerente?

Os líderes inspiram e motivam as pessoas, independentemente de sua posição no organograma da empresa. Líderes que não são gerentes podem ser encontrados em qualquer empresa, mas principalmente nas que contam com estruturas organizacionais distribuídas. Em um modelo organizacional distribuído, existe um tomador de decisões definido claramente para cada decisão, mas ele nem sempre é um gerente. Esses tipos de organização tendem a beneficiar-se de funcionários engajados e céleres, e, em decorrência de como essas equipes são estruturadas, elas tendem a fomentar mais líderes de todo nível.

Leia: Tomada de decisões em três estruturas organizacionais diferentes. Qual é ideal para a sua empresa?

A Asana criou um modelo organizacional distribuído baseado no uso de áreas de responsabilidade. Essas áreas permitem-nos delegar responsabilidades por cada área da organização, a fim de assegurar que tudo o que precisa acontecer na empresa seja levado a cabo. Além disso, elas dão aos membros da equipe que não ocupam cargos de gerência oportunidades de crescer como líderes.

Na minha opinião, “gerente” é um cargo, enquanto “líder” é um estado de espírito ou uma atitude. Ser gerente não é pré-requisito para ser um líder eficaz, mas os líderes eficazes muitas vezes são gerentes bem-sucedidos. Na prática, o título de gerente define o alcance do cargo, mas o impacto na equipe decorre das habilidades de liderança do gerente.

Principais qualidades de gestão

Nem todos os gerentes são líderes, e não há problema algum nisso. Bons gerentes trazem clareza e orientação aos membros da equipe. Eles são a espinha dorsal da equipe, agindo como um sistema de apoio ao trabalho em equipe e à colaboração. Voltando à analogia do navio, se os líderes são as pessoas que mantêm os olhos no horizonte, os gerentes são as que leem o mapa. É o gerente que traça o caminho e mostra aos membros da equipe como chegar ao destino almejado.

Leia: O que só um gerente pode fazer para manter os funcionários motivados

As principais habilidades de gestão incluem:

  • Feedback. Um bom gerente dedica-se a ajudar os membros da equipe a desenvolverem suas habilidades, sendo que uma das principais formas de fazer isso é por meio de um feedback claro e construtivo. Quando o feedback é claro e relevante, os membros da equipe têm a possibilidade de identificar oportunidades de crescimento. Então, após novas sessões de feedback e coaching, os membros da equipe podem ser orientados no sentido de transformar essas oportunidades em pontos fortes.

  • Desenvolvimento profissional. Além de ajudar os membros da equipe a darem o melhor de si no trabalho, um bom gerente também apoia o desenvolvimento profissional de todos os membros da equipe. Isso pode traduzir-se em ajudá-los a identificar onde querem estar dentro de cinco anos ou oferecer-lhes conselhos sobre como desenvolver certas habilidades.

  • Delegação. Um bom gerente não faz sempre o trabalho por conta própria, também delega tarefas às pessoas mais indicadas para concluí-las. Ser gerente é dizer menos: “Eu consigo fazer isso”, e mais: “Eu sei quem é a pessoa mais indicada para esta tarefa”.

  • Organização e planejamento. Ser um bom gerente significa desenvolver habilidades de gestão de projetos, como organização e planejamento. Essas habilidades podem ajudar a fornecer aos membros da equipe insights claros sobre o trabalho a ser realizado, além de apoiá-los caso precisem reajustar prioridades ou redefinir datas de conclusão.

  • Resolução de problemas. Assim como os líderes, os gerentes também precisam saber resolver problemas. No entanto, gerenciar pessoas envolve um estilo de resolução de problemas ligeiramente diferente do adotado pelos líderes. Geralmente, os gerentes utilizam a resolução de problemas para ajudar a desbloquear tarefas, de forma a que a equipe possa fazer o melhor trabalho possível. Isso pode incluir ajudar os seus membros a identificarem uma dependência que esteja impedindo o trabalho ou a redefinirem prioridades trimestrais, caso o cronograma do projeto tenha sido alterado.

  • Fortalecimento do espírito de equipe. Um bom gerente sabe reconhecer o valor de uma equipe, para além da capacidade de seus indivíduos. Parte da descrição do cargo é gerar oportunidades de fortalecimento do espírito de equipe. Sempre que possível, crie situações que estimulem a conexão e incentive os membros da equipe a conhecerem melhor uns aos outros. Quando os membros da equipe se conhecem bem, eles se sentem mais à vontade para colaborar e trabalhar em equipe.

A liderança foca-se no futuro, enquanto a gestão dedica-se a lidar com o presente. Um bom líder inspira os outros a obter resultados que eles próprios não imaginavam serem possíveis. Um bom gerente, por outro lado, traz clareza, fornece feedback e ajuda a sua equipe a desenvolver as competências e habilidades necessárias para realizar seu trabalho.

Por que alguém optaria por ser gerente em vez de líder?

Cada um tem suas características, e os cargos de liderança não são para todos. Focar-se na gestão primeiro pode ser muito útil. Os gerentes trazem estabilidade e orientação, mas não necessariamente estão interessados em transmitir uma visão do quadro geral.

Ainda mais que os líderes, os gerentes são altruístas na forma como priorizam a equipe. Gerentes novatos relatam com frequência que gerenciar exige muito mais esforço. Isso ocorre porque, em vez de focar-se apenas em realizar o trabalho pendente, os gerentes estão sempre pensando na melhor forma de guiar e orientar os membros de sua equipe.

Caso você seja gerente há pouco tempo, pode ser útil focar-se em proporcionar à sua equipe a melhor experiência possível primeiro, e só depois desenvolver as suas habilidades de liderança. Afinal, aperfeiçoar o seu estilo de gestão agora não impede que se dedique a desenvolver qualidades de liderança no futuro.

Leia: Como este estilo de gestão pode ajudar a prestar suporte à sua equipe
Imagino o trabalho em equipe como sendo um navio percorrendo uma geleira infinita. Nessa metáfora, o navio é a equipe, o gelo representa os possíveis problemas a serem solucionados, e o destino está sempre fora de vista e incerto. Cabe ao gerente decidir o que fazer com o gelo partido por nós: onde o colocar, como ele afeta o plano e a equipe etc. Já o líder é responsável por esclarecer a direção do navio e por que vale a pena romper toda essa barreira de gelo para chegar ao destino almejado.

Pontos de encontro entre gestão e liderança

Líderes e gerentes têm algo muito importante em comum: ambos querem o melhor para a equipe e a empresa. Consequentemente, mesmo que às vezes abordem as situações de formas diferentes, tanto os líderes quanto os gerentes querem atingir o mesmo objetivo.

Tanto os líderes quanto os gerentes:

  • Associam o trabalho aos objetivos da empresa. Para que os membros da equipe façam o melhor trabalho possível, eles precisam compreender como seu trabalho diário contribui para os objetivos da equipe e da empresa. Trazer-lhes essa clareza pode ajudá-los a priorizar melhor os trabalhos de maior impacto.

  • Valorizam a comunicação bidirecional. Quer esteja comunicando uma meta a toda a equipe ou interagindo com um membro da equipe durante uma reunião individual, a comunicação bidirecional é a melhor forma de assegurar que a sua equipe se sinta ouvida e valorizada. Para melhorar as suas habilidades de comunicação bidirecional, pratique pedir feedback, processar o que ouvir e tomar as medidas necessárias em função disso.

  • Investem no desenvolvimento de suas equipes. O apoio e a mentoria oferecidos aos membros da equipe podem apresentar-se de várias formas. De mentoria e coaching a conversas de desenvolvimento profissional e reuniões individuais, os líderes e gerentes têm a mesma missão de ajudar sua equipe a fazer o melhor trabalho possível.

Na minha visão, um líder é alguém que ajuda a entender a visão global. Qual é a expectativa para uma equipe, e qual é a relação entre essa expectativa e o conjunto mais amplo de objetivos e missão organizacionais? Um gerente é uma pessoa que presta o suporte e a mentoria necessários para causar um impacto em todos os outros cargos, ajudando a concretizar essa visão global. Às vezes, a mesma pessoa realiza as duas funções na equipe. Outras vezes, são várias pessoas. Porém, ambas as funções são importantes para o sucesso de qualquer equipe.

Três diferenças entre líderes e gerentes

Líderes e gerentes têm muito em comum, mas frequentemente abordam as situações de formas diferentes. Aqui estão três abordagens diferentes que os líderes e gerentes podem adotar em relação à mesma situação para prestar o melhor suporte possível à equipe.

Embora tanto os líderes quanto os gerentes tenham como objetivo motivar as pessoas para causar um impacto e obter resultados, os gerentes concentram-se mais nos aspectos operacionais dessa jornada, enquanto os líderes dedicam-se a inspirar e capacitar as pessoas para que atinjam suas metas. Outra grande diferença é que os líderes estão sempre tentando evoluir e implementar mudanças, enquanto os gerentes muitas vezes tentam manter o “status quo”.

Elaborar e comunicar uma visão estratégica

Ser líder em qualquer empresa envolve ajudar a definir e comunicar a visão estratégica da organização. Uma recente pesquisa com mais de seis mil profissionais do conhecimento revelou que apenas 16% dos funcionários acreditam que sua empresa define e comunica as metas eficazmente. Com isso em mente, vale a pena relembrar que os líderes têm o poder tanto de definir quanto de comunicar as metas para toda a empresa.

Os líderes veem o panorama geral e, com base nele, procuram desenvolver metas claras para atingir a missão ou declaração de visão da empresa. Isso inclui definir objetivos corporativos trimestrais ou anuais, e comunicar esses objetivos à equipe. Por exemplo, podem definir o objetivo de reduzir a evasão de clientes para <1% antes do fim do ano.

Leia: Ainda não conhece o planejamento estratégico? Comece aqui.

Os gerentes estabelecem uma ligação entre essa visão estratégica e o trabalho diário de sua equipe. O gerente está capacitado a esclarecer como o trabalho diário de cada membro da equipe contribui para as metas gerais da empresa. Estabelecer essa conexão pode ajudar a apoiar e motivar a sua equipe para que atinja as metas da empresa.

Por exemplo, se uma empresa tiver estabelecido a meta de reduzir a evasão mensal de clientes para >1% antes do fim do ano, um gerente pode ajudar a alinhar os projetos da equipe a essa meta. Às vezes, isso fica evidente quando alguém começa a trabalhar para corrigir o fluxo de evasão da empresa. Porém, nem sempre será tão óbvio. Um membro da equipe que aprimora a página de preços e embalagens, por exemplo, está contribuindo indiretamente para essa meta, pois está ajudando os clientes a compreender melhor o que receberão pelo preço que pagarem.

Bons gerentes são líderes, mas nem todos os líderes são gerentes. Gerentes que também são líderes inspiram suas equipes sem ditar regras. Essas equipes atingem resultados ainda melhores, pois sentem que ajudam a criar a solução em vez de apenas executar um plano rígido e sem espaço para colaboração.

Concretização de ideias

Os líderes não se concentram somente na execução, mas nas ideias também. A prioridade de um líder é considerar o quadro geral e comunicar como essa visão será de valor para a empresa. Como parte desse processo, você deve exercitar o desenvolvimento de ideias e soluções para problemas relacionados ao quadro geral.

Também são os líderes que motivam suas equipes a fazerem um ótimo trabalho. Quando a empresa decide em que direção seguir, mesmo que não tenha participado dessa decisão, um bom líder pode ajudar sua equipe a compreender o valor dessa ideia.

Vejo um líder como alguém capaz de influenciar, orientar, instruir e guiar os outros rumo a uma conquista. Os líderes fornecem a visão, e seu sucesso é definido pela equipe, não por seus próprios esforços.

Por outro lado, o trabalho do gerente é descobrir como tornar ideias em realidade. Isso talvez envolva designar responsáveis pelos projetos, alocar recursos e traçar um orçamento que permita atingir as metas. Os gerentes apoiam e orientam os membros da equipe enquanto realizam seu trabalho diário. São eles que revisam os documentos e aprovam o trabalho. No fim das contas, um bom gerente capacita os membros da equipe a realizarem trabalhos de grande impacto.

Criação e manutenção de uma cultura corporativa

A cultura corporativa é uma ótima forma de ajudar os membros da equipe a sentirem-se motivados, apoiados e capacitados a fazer o melhor trabalho possível. Investir na cultura corporativa por meio de atividades que fortaleçam o espírito de equipe, oportunidades de aprendizagem e desenvolvimento, e fluxos de integração de funcionários bem estruturados pode deixar os membros da equipe mais felizes e envolvidos com a empresa.

Leia: Seis dicas para reforçar a cultura organizacional oferecidas por líderes da Asana

Quando os líderes e gerentes entram em ação? Cabe ao líder ajudar a moldar e criar a cultura corporativa. Dustin Moskovitz, cofundador e diretor executivo da Asana, escreveu: “Como líder, sei que sou responsável por definir o tom da nossa cultura corporativa”. Os líderes estabelecem os fundamentos dessa cultura e inspiram as pessoas a querer participar de sua criação e desenvolvimento.

“Líderes adaptáveis são capazes de trabalhar eficazmente com diferentes grupos de pessoas, orientando-as e inspirando-as. Eles adaptam seu estilo de liderança para que se adeque à pessoa com quem estão trabalhando, em vez de adotar uma abordagem padronizada.

Por outro lado, é o gerente que implementa as práticas e políticas definidas pela cultura. Além disso, os gerentes são responsáveis por representar as necessidades de sua equipe perante a organização. Quando eles compartilham um feedback, cabe aos líderes transformar o feedback em processos corporativos para aprimorar a cultura corporativa. Acolher e solucionar o feedback da equipe é uma parte fundamental de uma cultura corporativa saudável, mas, de acordo com o índice Anatomia do trabalho, apenas 15% dos profissionais do conhecimento se sentem completamente ouvidos por suas organizações.

Leia: Como distribuir a autoridade entre todos na empresa

Liderança ou gestão: qual é melhor?

Ser líder não necessariamente é melhor do que ser gerente, e vice-versa. É possível ser ambos, e também é útil desenvolver primeiro as habilidades de uma dessas funções. Decidir em quais qualidades se focar depende do que a sua equipe precisa e de qual é a melhor forma de apoiá-la.

Na minha opinião, um líder é alguém que tem uma influência positiva em todos à sua volta em termos de ação, direção e sucesso. Um líder não precisa ocupar nenhum cargo específico, ele causa esse impacto seja qual for o seu cargo.

Tanto os líderes quanto os gerentes devem se esforçar por aprimorar continuamente suas habilidades de colaboração e comunicação. Experimente estas 10 etapas simples para incentivar a colaboração em equipe.

Recursos relacionados

Artigo

5 tips to set great company values that reflect your unique culture (with examples)