6 maneiras de desenvolver adaptabilidade no local de trabalho e acolher as mudanças

Retrato da contribuidora Alice RaeburnAlicia Raeburn12 de julho de 20229 minutos de leitura
facebooktwitterlinkedin
Imagem do banner do artigo sobre 6 maneiras de desenvolver adaptabilidade no local de trabalho e acolher as mudanças
Ver modelos

Resumo

A adaptabilidade no local de trabalho ajuda a reagir de maneira eficaz a uma variedade de situações. Neste artigo, abordaremos seis maneiras de desenvolver as suas habilidades de adaptação, inclusive como melhorar a sua resolução de problemas, acolher mudanças, manter uma mente aberta, praticar a atenção plena e se forçar a sair da zona de conforto.

O ambiente de trabalho é um local dinâmico e em constante mudança. Uma campanha que funciona brilhantemente num dia pode ser um desastre total em outro. O colega de quem você sempre dependeu pode, repentinamente, entrar de licença. 

Todos vimos isso acontecer em primeira mão ao longo dos últimos anos, quando as empresas tiverem de se ajustar aos altos e baixos da pandemia. As mudanças foram enormes. Mas até mesmo pequenos ajustes, como um novo software ou uma troca de mesa, podem causar interrupções a você e à sua equipe.

Muitas vezes, as mudanças estão fora do nosso controle, e só temos controle sobre como reagimos a elas. Você quer ser alguém a quem as pessoas recorrem em momentos difíceis? Um líder que possa guiá-las? Assim como muitas outras habilidades sociocomportamentais, a adaptabilidade é uma competência que pode ser aprendida. Ao desenvolvê-la no local de trabalho, é possível aprender a lidar com mudanças inevitáveis e até a crescer com elas. 

O que é a adaptabilidade no local de trabalho?

A adaptabilidade no local de trabalho é a capacidade de responder de maneira eficaz a diferentes situações e desafios no ambiente profissional. Não é algo tão simples quanto ter mais flexibilidade. As pessoas adaptáveis desenvolvem conjuntos de habilidades, processos e estruturas por meio das quais podem lidar, rápida e eficientemente, com diferentes situações à medida que surgem.

Tornar-se adaptável no trabalho ajuda a responder a novas situações, novas funções, novos projetos e novos clientes. Desenvolver este conjunto de habilidades ajudará a enfrentar qualquer mudança que surgir no seu caminho.

Os três tipos de habilidades de adaptação

Entender o que são habilidades de adaptação e de onde vêm pode ajudar a desenvolver o seu conjunto de competências. O Center for Creative Leadership divide a adaptabilidade em três categorias:

Adaptabilidade cognitiva

A adaptabilidade cognitiva ajuda a analisar bem diferentes situações possíveis e se planejar para vários resultados. Desenvolver esta habilidade não garantirá que a decisão certa será tomada, mas ajudará a estruturar os seus pensamentos durante o processo de tomada de decisão.

Adaptabilidade emocional

Pode parecer óbvio, mas podemos dizer com certeza que cada colega trabalha de maneira diferente, pensa de maneira diferente e, como ser humano, é fundamentalmente diferente. A adaptabilidade emocional nos ajuda a aceitar e reconhecer esse fato, sendo um conjunto de habilidades que nos permite conectar com todos os tipos de personalidades, até as mais diferentes das nossas.

Leia: Por que este é o momento adequado para priorizar a sua inteligência emocional

Adaptabilidade pessoal

Ter uma personalidade adaptável permite visualizar a situação como ela é e como pode vir a ser. Ao enfrentar um desafio, ela ajuda a ver o panorama geral, reconhecer as imperfeições mas também identificar as oportunidades. É uma combinação de realismo e otimismo, ótima para responder a qualquer situação. 

5 benefícios de aprimorar as habilidades de adaptação no local de trabalho

Não há muitas garantias na vida, mas a mudança certamente é uma delas. 

Quando você demonstra capacidade de adaptação, demonstra que consegue lidar com qualquer coisa que precisar enfrentar. A adaptabilidade é uma habilidade sociocomportamental que provavelmente não será exibida no seu perfil do LinkedIn, mas que, muitas vezes, é uma das primeiras coisas que o seu chefe busca ao considerar se vai conceder uma promoção ou desenvolver a sua liderança

A adaptabilidade proporciona os seguintes benefícios:

  1. Desenvolve resiliência. Desafiar-se não só ajuda a aprimorar as suas habilidades de solução de problemas, como também produz mudanças no seu cérebro. Uma maneira de se tornar mais adaptável é enfrentar diferentes tipos de desafios e encontrar soluções únicas para cada um deles. Conforme for enfrentando e superando um desafio após o outro, você começará a ensinar ao seu cérebro que nada é insuperável.

  2. Faz com que você se diferencie. Pessoas adaptáveis se destacam. Em vez de se sentir estressado sob pressão ou de ficar sobrecarregado, tente encontrar novas abordagens e soluções ao problema em questão. Use técnicas de brainstorm que ajudarão a pensar de forma mais inovadora e encontrar soluções criativas. Isso não só lhe proporcionará mais autoconfiança, mas também lhe permitirá confiar na sua capacidade de tomar decisões difíceis e mostrar que é uma pessoa de referência para a tomada de decisões mais difíceis.

  3. Traz uma sensação boa. As mudanças no trabalho podem ser estressantes, mas conforme for se tornando mais adaptável, você começará a procurar e encontrar soluções com mais facilidade. O otimismo se tornará o seu modo padrão de pensar, e poderá haver até mesmo situações que antes traziam estresse, mas que agora causam empolgação ou são divertidas de lidar.

  4. Representa uma habilidade muito procurada de liderança. Ao se tornar adaptável, você pode guiar a sua equipe por diferentes desafios e desenvolver habilidades de pensamento crítico. Assim, ficará mais fácil aceitar as diferenças de cada membro da equipe, para poder se comunicar de maneira mais eficaz. Todas estas habilidades sãoqualidades desejadas de liderança

  5. Melhora a sua produtividade. Quando se gasta menos tempo se preocupando com o que está acontecendo em um projeto, sobra mais tempo para pensar em como prosseguir e tomar atitudes. Ao gastar mais energia com as coisas que precisam ser feitas, também é possível ajudar a sua equipe a se tornar mais eficiente

Leia: A diferença entre habilidades sociocomportamentais e habilidades profissionais: exemplos de 14 membros de equipes da Asana

Como desenvolver habilidades de adaptação

Algumas pessoas têm facilidade para desenvolver a capacidade de adaptação; mas mesmo que você não tenha, ela pode ser desenvolvida. Veja agora seis dicas para criar, aprimorar e desenvolver a sua adaptabilidade por meio de exercícios e prática. 

1. Melhore as suas habilidades de resolução de problemas

A resolução de problemas nos ajuda a resolver questões específicas à medida que surgem. É um termo que, muitas vezes, parece ambíguo, mas se trata de um processo concreto que consiste em quatro etapas simples:

  1. Identificar o problema a ser resolvido.

  2. Fazer sessões de brainstorm para encontrar várias soluções possíveis. 

  3. Definir a solução.

  4. Implementar a solução.

Usar uma estrutura como a mencionada acima ajudará a identificar melhor os problemas para encontrar uma solução estrategicamente. Além disso, sempre que estas habilidades são usadas, fica mais fácil resolver o próximo problema, mesmo que seja diferente. Com o tempo, a sua adaptabilidade chegará a um ponto em que poderá resolver qualquer problema que surgir.

Exemplo: o seu chefe acabou de pedir que você deixe tudo de lado para se concentrar em uma nova iniciativa; mas você já está trabalhando em um projeto com prazo apertado. Juntos, vocês identificam uma possível solução: delegar uma das iniciativas a outro membro da equipe. A sua adaptabilidade em buscar várias soluções ajuda a encontrar o melhor caminho.

2. Aprenda a aceitar a mudança

Isso já foi dito, mas vamos repetir: sempre será necessário enfrentar mudanças. Ou, nas palavras de Heráclito, antigo filósofo grego, “a única constante na vida é a mudança”. Podemos evitá-la, negá-la, mas isso não fará com que ela desapareça.  

Aprender a acolher e até ansiar pela mudança pode ajudar no caminho para se tornar um líder mais adaptável. Ensine-se a acolher qualquer situação assumindo mais riscos e aceitando os resultados, quaisquer que sejam. Pratique o autocuidado durante mudanças particularmente complicadas e procure auxílio quando precisar. Acima de tudo, seja complacente consigo mesmo, pois a mudança nunca é fácil, nem mesmo quando se aprende a lidar com ela.

Exemplo: a sua equipe acabou de ser reestruturada. Esta é a terceira vez em que é preciso se ajustar a novos membros da equipe e a novas responsabilidades, e agora é preciso novamente aprender novas habilidades e ajustar a sua vida laboral. 

Em vez de se sentir frustrado, tente reconhecer os benefícios de tal mudança. Talvez você esteja em uma posição melhor para assumir funções de liderança, ou seja uma oportunidade de aumentar a sua rede de contatos dentro da nova equipe. Conforme se aprende a acolher mudanças grandes e pequenas, desenvolve-se ativamente a estrutura necessária para se tornar mais adaptável quando novos desafios surgirem.

3. Mantenha uma mente aberta

Todos temos uma ideia de como as coisas devem funcionar; isso é normal. Este tipo de raciocínio é um atalho que ajuda o nosso cérebro a processar informações de maneira mais eficiente. Embora possa ser por vezes benéfico, também há situações em que pensar de tal maneira fecha a nossa mente a novas oportunidades. Isso ocorre porque ficamos tão focados no que achamos que deveria ocorrer, que acabamos não aceitando o que poderia acontecer. Ser adaptável é estar disposto a mudar de direção.

Exercitar o seu cérebro pode ajudar a ter a mente mais aberta ao enfrentar uma nova situação. Experimente estas dicas para desenvolver uma mente aberta:

  • Faça perguntas de maior qualidade, que passem do elemento “o quê” para os “porquês” mais cruciais da situação.

  • Pratique a escuta ativa quando estiver aprendendo algo novo. 

  • Guarde para si os julgamentos antes de ter todas as informações. Isso inclui crenças limitantes sobre si mesmo e sobre as suas capacidades.

  • Tente pensar na situação atual considerando todas as perspectivas, expandindo a sua mente para identificar todas as possibilidades diferentes.

Leia: Escutando para entender: como praticar a escuta ativa (com exemplos)

Exemplo: você trabalha na área de conteúdos e depende da equipe de design, que fornece as imagens que complementam o seu trabalho. Depois de alguns meses, o designer com quem você estava trabalhando começa a demorar mais para responder e a perder prazos. Você fica cada vez mais ressentido, pois agora precisa fazer o seu trabalho e, na sua opinião, o dele também. 

Em vez de se apegar a tais ressentimentos e suposições, você se reúne com o designer para tentar entender o ponto de vista dele, e descobre que ele está passando por um momento de muita pressão porque uma pessoa saiu da equipe repentinamente e ele precisou assumir responsabilidades adicionais. Como você entrou na conversa com uma mente aberta, conseguiu entender e encontrar uma solução. 

Escrita desta forma, pode parecer uma solução muito simples, mas é difícil ter esses tipos de conversas se a situação não for abordada com uma mente aberta. 

Leia: A melhor estratégia de resolução de conflitos que você provavelmente não aplica

4. Deixe o seu ego de fora

O seu ego é o seu senso de identidade. Seguindo uma linha mais filosófica, podemos dizer que ele não é intrinsecamente bom ou mau; o ego simplesmente é. Mas por ser naturalmente autocentrado, em algumas situações ele pode não ser a ferramenta de comunicação mais útil. Deixar o seu ego de lado permite ver os outros pontos de vista mais claramente e acolher a mudança. Resumidamente, a prática de deixar o seu ego fora do local de trabalho complementa muitas habilidades de adaptação.

E qual é a melhor maneira de fazer isso? Pegue qualquer situação que normalmente seja frustrante e pare, respire fundo e se pergunte: consigo abandonar a ideia de como acho que as coisas deveriam ocorrer? Indo um passo além, consigo aceitar o resultado independentemente do que ele produzir? Caso consiga aceitar e até comemorar uma diversidade de resultados, você estará estabelecendo um precedente muito importante: o de que tudo é possível e que, qualquer que seja a situação, é possível se adaptar e seguir em frente.

Exemplo: recentemente, a sua equipe realizou uma sessão de debate criativo de ideias, mas a sua ideia não foi escolhida. É normal ficar desapontado. Mas, em vez de ficar triste, há a opção de se desapegar. Deixe o seu ego de fora e aceite a ideia que a sua equipe decidiu escolher. Ao fazer isso, estará propiciando um ambiente seguro para que os outros expressem a criatividade de cada um com ideias cada vez mais originais. Além disso, também aprenderá que há várias soluções para um problema, e que é possível se adaptar independentemente da escolha.

5. Pratique a atenção plena

A atenção plena é o ato de se concentrar no momento presente sem tentar mudar qualquer aspecto dele. Em vez de buscar soluções ou ideias, a atenção plena permite que se dê um passo atrás e se reflita sobre o que está acontecendo. Com isso, é possível ser mais flexível e apreciar o momento, o que dá mais abertura a mudanças. 

Para nós, da Asana, a atenção plena é tão importante que fizemos dela um dos nossos valores principais. Para implementá-la no seu dia a dia, experimente estas duas etapas de identificar as suas emoções e deixá-las de lado: 

  1. Dê menos atenção ao passado e ao futuro. Depois que uma coisa acontece, não é possível mudá-la, mas é possível aceitá-la. Pensar sobre o que poderia ou deveria ter acontecido provavelmente não ajudará, e pode até piorar as coisas. 

  2. Concentre-se no que está acontecendo agora. Analise a situação da maneira como ela é. Com isso, pode-se deixar de lado as coisas que estão fora do controle e prestar atenção naquilo que pode ser mudado. 

Exemplo: a sua equipe de TI instalou um novo software no seu notebook que, acidentalmente, excluiu todos os seus arquivos, inclusive um projeto que precisava ser entregue hoje. Em vez de reagir, você avalia a situação de maneira objetiva, analisando os fatos. O que pode ser feito?

Agir com atenção plena neste momento permite que se inicie o processo de resolução de problemas. Algumas soluções podem ser avisar ao seu chefe sobre o problema, conferir com o departamento de TI sobre um possível backup na nuvem e falar com os membros da equipe para ver se têm algum arquivo salvo. 

Nada mudou na situação. Você ainda perdeu bastante trabalho. Mas em vez de gastar mais tempo e energia se lamentando, você pode agir para resolver o problema da maneira mais rápida e eficiente possível.

Leia: Como ter foco: dicas para fazer o que precisa ser feito num mundo cheio de distrações

6. Saia da zona de conforto

A maioria de nós quer ficar na zona de conforto. É algo natural. O nosso cérebro gosta de experiências confortáveis e nos incentiva a buscá-las. Mas se só fizermos coisas com as quais ficamos confortáveis, não estaremos bem preparados quando as mudanças, inevitavelmente, ocorrerem.

Você pode começar expandindo a sua zona de conforto por meio de alguns pequenos ajustes. Experimente se colocar em situações novas e desafiadoras em que tem controle do resultado. Não precisa ser algo como pular de um avião; coisas simples como pegar um caminho diferente para o trabalho ajudam a pensar de maneira mais criativa e ser mais flexível. 

Exemplo: imagine que você tem uma ideia de um novo projeto em que a sua equipe poderia estar trabalhando. A questão é que, normalmente, as ideias vêm do seu chefe, e não de você ou dos seus colegas. Em vez de esperar uma nova iniciativa de um gerente, esta pode ser uma oportunidade para sair da sua zona de conforto.

Portanto, apresente essa ideia ao seu chefe. Não importa se ele optar por não a levar adiante. A beleza de se esforçar para sair da zona de conforto está no fato de que o que importa não é o resultado, e sim o processo.

A adaptabilidade no local de trabalho pode criar uma melhor vida profissional

Para a maioria de nós, desenvolver adaptabilidade no trabalho é uma prática constante que ocorre ao longo da carreira. Aprender a se tornar mais adaptável exige tempo e foco. Não é tão simples como fazer um novo curso de capacitação profissional ou uma pós-graduação. 

E não há problema nenhum nisso. Esta é uma daquelas situações em que a jornada importa mais do que o resultado. Aprender habilidades sociocomportamentais, como a adaptabilidade, pode não resultar em uma certificação oficial ou ser algo tão mensurável quanto as habilidades profissionais, mas elas podem ser tão ou mais benéficas para o seu sucesso como líder e membro da equipe. 

Para obter mais dicas sobre como ser um líder melhor, confira o nosso centro de recursos para líderes.

Recursos relacionados

Artigo

6 tips for breaking down business silos