Como vencer o medo de cometer erros no trabalho

Retrato da contribuidora Caeleigh MacNeilCaeleigh MacNeil15 de julho de 20228 minutos de leitura
facebooktwitterlinkedin
Making mistakes at work article banner image
Ver modelos

Resumo

Todos nós cometemos erros, mas, ainda assim, é frustrante quando isso acontece. Aprenda a administrar e superar os erros no trabalho para que o medo do fracasso não lhe impeça de continuar assumindo riscos e desafios.

É normal falhar de vez em quando, e isso se aplica a todos. Os erros fazem parte da natureza humana e são essenciais ao desenvolvimento: para aprender a andar quando somos pequenos, para atravessar a fase escolar, para as relações pessoais e para o trabalho. 

No fim das contas, o que importa é como você dá a volta por cima. 

Cometer erros no trabalho

Embora os erros sejam normais, é difícil aceitá-los quando acontecem. Cometer erros no trabalho é particularmente difícil porque o emprego é muito importante para nós, especialmente se nós (e as nossas famílias) dependemos dessa renda para nos alimentarmos e termos onde morar. Sentimos que temos tanto em jogo que o menor erro pode nos causar grande preocupação. 

Contudo, manter a perfeição o tempo todo não é algo realista. Você vai cometer erros em algum momento, mas é completamente normal. Na maioria dos casos, os erros não são tão importantes como pensávamos inicialmente. Desde que você admita os seus erros e trabalhe para corrigi-los (em vez de esconder o que aconteceu), eles se tornarão oportunidades de aprendizagem. 

Um erro também não é o fim do mundo. Aproveite isto como uma oportunidade para aprender, crescer e melhorar. O verdadeiro erro está em querer encobrir as faltas em vez de contá-las a alguém e admitir que aconteceram.  

Perfeccionismo, o vilão da produtividade

Quando se procura a perfeição, é difícil conseguir fazer as coisas: você acaba conferindo constantemente o seu trabalho, lutando para delegar tarefas e procrastinando quando tem medo de cometer erros. Além disso, estudos sugerem que o perfeccionismo extremo é prejudicial à sua saúde mental, acarretando em um maior risco de esgotamento psicológico, insatisfação no trabalho e depressão. 

Ser perfeccionista (ou gerenciar alguém assim) pode ser difícil. Mas você pode combater os efeitos negativos do perfeccionismo normalizando os erros e falando abertamente sobre como aprender com eles. Isto faz parte de um conceito chamado segurança psicológica: a crença de que o seu ambiente de trabalho é seguro para assumir riscos interpessoais, como se manifestar levantando perguntas, preocupações ou erros. 

No fim das contas, você ainda pode ter padrões elevados sem tentar ser perfeccionista. E, se pensar bem, você não quer realmente funcionários perfeitos, mas sim processos de equipe sólidos, que ajudem a tornar o trabalho tão bom quanto possível. Esta é a razão pela qual os jornais têm editores e redatores. Eles não esperam que um primeiro rascunho seja perfeito — em vez disso, eles criaram um processo para fornecer feedback, melhorar o rascunho inicial e acertar em cheio o produto final. 

O que fazer ao cometer um erro no trabalho

Errou? Mantenha a calma. Confira a seguir como processar a situação, tomar providências e seguir com a vida: 

1. Respire fundo 

É normal sentir frustração, ansiedade e até mesmo um pouco de constrangimento quando se comete um erro. Embora essas emoções sejam naturais, elas podem obstruir a tomada de boas decisões. Por isso, é importante processar primeiro o que estamos sentindo e depois agir com a cabeça fria. 

Faça uma pausa para processar o que você está sentindo. Respire fundo, distancie-se do trabalho, dê um passeio ou fale com um amigo de confiança. Com o tempo, os sentimentos negativos passarão e você será muito mais capaz de lidar com a situação.  

2. Fale com a alguém sobre o que aconteceu

Ao cometer um erro, o mais importante é falar com as pessoas pertinentes antes que o erro ganhe maiores proporções. Os erros raramente são tão graves quanto pensamos, mas tentar escondê-los torna a situação bastante pior. Por isso, é melhor avisar ao seu gerente ou outro membro de confiança da equipe. Não se preocupe se não tiver a solução no momento: eles podem lhe ajudar a encontrá-la. 

Admitir os erros não é fácil, mas os psicólogos concordam que aprender a fazê-lo é essencial para manter relacionamentos fortes e crescer (pessoalmente e profissionalmente) ao longo do tempo. Por fim, ao admitir que estamos errados, também mostramos que somos fortes o suficiente para sermos vulneráveis e permanecermos objetivos sobre as nossas ações. Consequentemente, a equipe confiará que você fará a coisa certa no futuro, mesmo que isso signifique admitir que você cometeu um erro. 

3. Admita o seu erro 

Depois de respirar fundo e contar a alguém sobre o problema, às vezes você precisa reconhecer e pedir desculpas pelas consequências. Isso não significa que você estragou tudo ou que fez um péssimo trabalho, apenas que algo saiu errado e que você aprendeu com a experiência. 

Ao se desculpar por um erro, não exagere. Evite inventar pretextos, justificativas ou desmerecer-se. Pelo contrário, valorize a franqueza e a honestidade dizendo algo como “Olá, (colega de trabalho), eu cometi este erro e estou trabalhando para corrigi-lo. Sinto muito pelas consequências que isto possa ter tido para você”. 

4. Levantes soluções e registre os aprendizados

É essencial que, quando cometemos erros, nos recuperemos rapidamente e consertemos o problema. Se o erro for corrigível, desenvolva um plano de ação para remediar a situação. Por exemplo, se você se esqueceu de convidar alguém essencial para a reunião de lançamento do projeto, envie à pessoa as notas da reunião para que ela possa lhe dar feedback sobre as ações a realizar e as decisões tomadas durante a sessão.

Nem todos os erros podem ser corrigidos, e isso também é normal. No fim das contas, o importante é aprender com os próprios erros e elaborar uma estratégia para evitar que eles se repitam no futuro. Continuando com o exemplo acima, você poderia fazer uma análise das partes interessadas no início de cada projeto se assegurar de incluir as pessoas certas no momento certo.

5. Cuide-se

Os erros têm um impacto emocional significativo. É muito importante que você se cuide e procure administrar os seus sentimentos negativos de forma saudável. Mantenha uma rotina normal sem trabalhar horas extras e evite isolar-se dos outros por sentir ansiedade, constrangimento ou frustração. Permita-se, a cada dia, tempo suficiente para se afastar do trabalho e dedicar-se à sua vida pessoal. Dar um passeio, cozinhar algo saudável, passar tempo com amigos e familiares são atividades podem ajudar você a se distrair e a entender que o trabalho é apenas uma parte da sua vida. 

Leia: O que é ansiedade no trabalho? 10 dicas para superar as preocupações com o trabalho

6. Ponha a situação em perspectiva

Você ainda se sente mal pelo erro? Sentir remorso e ansiedade por isso é bastante comum. A questão é que o seu erro provavelmente não é tão grave quanto você imagina, e ao se afastar um pouco e procurar vê-lo sob outro prisma, você conseguirá lidar com qualquer ansiedade remanescente. 

Quando cometemos erros, geralmente caímos em uma das tantas “armadilhas do pensamento”, padrões de pensamento negativos que tornam muito difícil ver as coisas em perspectiva e analisar objetivamente cada situação. Se você achar difícil parar de sentir ansiedade por um erro que cometeu, dê uma olhada nesta lista para ver em qual destas “armadilhas do pensamento” você pode ter caído. 

Pensamento polarizado: ver as coisas como 100% boas ou 100% más. 

  • Exemplo: cometi um grande erro e não consigo terminar certo entregável. Arruinei o meu projeto. 

  • Solução: Veja a situação por outros ângulos. Raramente algo sai perfeito ou é totalmente desprezável: tente encontrar ao menos um ponto positivo.  

Generalização excessiva: ver um erro como um sinal de fracasso perpétuo. 

  • Exemplo: perdi outro prazo. Nunca mais vou conseguir concluir os projetos em dia e ninguém vai voltar a confiar em mim. 

  • Solução: recorde conquistas passadas ou eventos positivos. Que coisas você realizou no passado e enchem você de orgulho? 

Leitura mental: presumir que as outras pessoas vão pensar mal de você por conta do seu erro. 

  • Exemplo: eu fiquei nervoso durante a apresentação e tropecei nas palavras. As pessoas vão achar que sou incompetente ou que não tenho profissionalismo. 

  • Solução: lembre-se que você não é o centro do universo, e que as pessoas têm mais o que fazer do que ficar pensando mal a seu respeito. Quando outras pessoas cometeram erros no passado, isso por acaso lhe pareceu tão importante assim? 

Argumentação emocional: presumir que o que você acha ser verdade deve, de fato, ser verdade.

  • Exemplo: eu me esqueci de trazer as minhas anotações para uma reunião com clientes e fiquei nervosa demais. Não vou mais ser promovida como eu queria nem vou conseguir vir trabalhar amanhã. 

  • Solução: distancie-se. Quantas vezes já aconteceu o pior cenário possível em casos como este? Se partir uma unha tivesse um impacto 0 e um extermínio nuclear fosse 100, que classificação você daria ao infortúnio que lhe tira o sono? Você se lembrará deste erro em uma semana, um mês ou um ano? 

Criar uma catástrofe: imaginar o pior cenário possível e pensar que você não será capaz de lidar com isso.

  • Exemplo: acabo de estragar uma entrevista de emprego e a minha busca de emprego está ficando cada vez mais difícil. Nunca encontrarei um novo emprego e perderei o apartamento quando as minhas economias se esgotarem.  

  • Solução: pense em todos os recursos que você tem à disposição: pessoas, lugares ou coisas. Qual seria a primeira coisa que você faria se o pior acontecesse? E depois?

Personalizar: culpar uma pessoa (ou culpar-se) por uma situação que tem muitas causas. 

  • Exemplo: a minha iniciativa fracassou porque não sou bom em gerir projetos. Eu deveria ter coordenado melhor os participantes para garantir que as tarefas fossem concluídas a tempo. 

  • Solução: lembre-se de que ninguém é perfeito. Concentre-se em criar soluções em vez de alimentar a culpa. 

Conselho para gestores: o que fazer quando um subordinado direto cometer um erro

Como gestor, a maneira como você age quando os membros da equipe cometem erros fará a diferença. Ela dará o tom para a cultura de equipe e ajudará as pessoas a se sentirem psicologicamente seguras e à vontade o suficiente para correr riscos sem um medo avassalador que as prenda. 

Aja assim quando um dos seus subordinados diretos cometer um erro: 

  • Não alimente a culpa: quando alguém tiver a responsabilidade por um erro, evite fazer a pessoa sentir-se culpada e dizer que o erro foi dela. Em vez disso, agradeça por ter lhe procurado e concentre-se no que realmente aconteceu. Ajude a pessoa a identificar as medidas que precisam ser tomadas como uma equipe para corrigir a situação. Faça o mesmo se alguém admitir imediatamente que cometeu um erro. Mostre compaixão e concentre-se no problema, em vez de no responsável por ele.

  • Demonstre curiosidade: em vez de levantar hipóteses sobre o que aconteceu, faça perguntas que levem a entender a situação a partir da perspectiva da pessoa que cometeu o erro. Pratique a escuta ativa para interiorizar o que o seu interlocutor está dizendo e mencione que você está prestando atenção. Isto ajudará a entender o panorama geral e obter todas as informações necessárias para ajudar a equipe a resolver o contratempo. 

  • Comunique-se pessoalmente ou por vídeo: quando alguém da sua equipe comete um erro, é importante que você demonstre visualmente que não sente qualquer inquietação ou raiva. Há coisas que podem ser mal interpretadas em conversas no Slack ou e-mail. Portanto, se possível, é melhor falar cara a cara para evitar mal-entendidos.

  • Deixe que os próprios membros de equipe tentem encontrar a solução: ao delegar, é natural que se cometa erros. E você está fazendo a coisa certa se permitir que os membros da equipe cometam pequenos erros e os corrijam por si mesmos, ainda que você veja com antecedência que eles estão prestes a cometer um erro. Em vez de se apressar e corrigir o erro, deixe os seus funcionários tentar resolvê-lo primeiro. Desta forma, eles aprenderão com a situação e desenvolverão habilidades de solução de problemas, bem como ganharão autoconfiança para encontrar soluções para os próprios erros no futuro. Isto também demonstrará confiança e deixará claro aos membros da equipe que não é um erro que lhes tirará o seu mérito. 

  • Transforme a situação numa experiência de aprendizado: depois de dar ao membro da equipe a oportunidade de resolver o erro, ofereça feedback para que ele ou ela possa aprender com a situação e evite repetir a falha. Se você se sentir à vontade, também pode ser útil se você lhes disser como lidou com erros mais graves no passado. Isto gera confiança e mostra que os erros são uma parte natural do crescimento. 

  • Se os erros persistirem, levante soluções em conjunto: quando os mesmos erros são cometidos repetidamente, pode haver um problema ou comportamento subjacente que impeça o seu funcionário de trabalhar bem. Pense sobre quais hábitos ou mudanças poderiam ajudar a evitar tais erros no futuro. Você poderia ajudar o funcionário a criar alertas no calendário caso o problema sejam atrasos para as reuniões, por exemplo.

Em vez de tentar alcançar a perfeição, crie processos de excelência

Os erros fazem parte da vida, é irrealista pensar que podemos evitá-los completamente. É melhor se concentrar na criação de processos robustos para equipes onde se considera que haverá erros e mal-entendidos. Por exemplo, em vez de tentar produzir um produto perfeito logo da primeira vez, crie um processo no qual você possa iterar e melhorar o produto ao longo do tempo. Desta forma, a equipe se moverá rapidamente, assumirá riscos e será capaz de se adaptar quando ocorrerem mudanças.

O Construtor de fluxo de trabalho da Asana ajuda você a planejar, visualizar e agilizar os processos de equipe. Com ele, a sua equipe poderá construir fluxos de trabalho que incorporam diferentes níveis de feedback e contribuições de participantes, permitindo a possibilidade de erros e iterações, em vez de almejar a produção de resultados perfeitos desde o começo.

Visualize e monte fluxos de trabalho com a Asana

Recursos relacionados

Ebook

Optimizing your organizational structure for stronger cross-team collaboration